Você costuma ouvir seu coração?

“O coração tem razões que a própria razão desconhece…”

Já ouviu isso né? Mas alguma vez você já parou pra pensar no que isso realmente significa?

Quando eu era mais nova e tinha dúvidas em relação a alguma coisa e compartilhava essa dúvida com minha mãe, ela me perguntava: ‘o que seu coração diz?’ Eu lembro que ficava muito incomodada com essa pergunta porque eu simplesmente não sabia o que dizer. Respondia então assim: ‘meu coração não diz nada!” Mas a verdade é que era eu quem não sabia ouvir.

Ouvir o coração significa ouvir a nossa essência em profundidade, sem qualquer tipo de juízo de valor e ‘conceitos’ e até ‘pré-conceitos’ que vamos absorvendo ao longo da vida. E isso não é nada fácil. Para ouvir o coração, é preciso despir-se. E a maioria de nós não está preparada para tal.

Ir à escola, fazer faculdade, conseguir um bom emprego e se aposentar com 60 e poucos (ou muitos) anos. Apesar de que, na minha concepção, esse roteiro de vida laboral já está bem ultrapassado, muitos ainda o seguem, ou pior: o perseguem , sem questionamentos, acreditando se tratar da única alternativa possível ou viável para se garantir um bom score no incrível jogo chamado ‘vida’.

No lado pessoal não é muito diferente: namorar, casar, ter filhos. Em alguns casos, tem até idade para cada uma dessas etapas. A família cobra, a sociedade cobra isso. Logo, deve ser o certo, certo? Pode ser que sim. A verdade é que em nenhum dos casos existe um ‘certo’ e ‘errado’ existe apenas o certo para cada pessoa e este certo pode ser diferente do que estamos acostumados a ouvir como sendo o ‘certo’.

Falando nisso, tem outro texto sobre o ‘certo’ e o ‘certo a fazer’. Sim, tem diferença! Para ler, é só clicar aqui!

Ai, Tati, tá confuso isso!

Sim, eu sei, é confuso mesmo. Meu objetivo aqui é justamente provocar uma reflexão sobre os caminhos que escolhemos, que podem ser iguais ou diferentes daqueles que imaginávamos quando éramos crianças ou adolescentes. Ou que nossos pais, avós, tios e tias imaginavam… E tudo bem. E tudo bem também mudar de caminho quantas vezes acharmos necessário. Se essas mudanças forem feitas de acordo com o coração, o caminho sempre vai estar certo e eventualmente tudo vai fazer sentido. Mesmo que às vezes pareça loucura. Loucura maior, na minha opinião, seria não se permitir fazê-las.

Porque é importante manter uma rotina de cuidados com a beleza na quarentena

Pode parecer meio estranho e até superficial pensar em cuidados com a beleza no atual cenário de pandemia que estamos vivendo. Mas não é. Repare que em nenhum momento eu escrevi que cuidar da beleza é mais importante que cuidar da saúde, de forma alguma! Na verdade se complementam. Vou explicar:

Recentemente li uma expressão que gostei muito, dizia assim: “a autoestima é o sistema imunológico do cérebro”. E cuidar da beleza é uma das formas de cuidar da nossa autoestima. Todos sabemos que, além de cuidar da saúde do nosso corpo, manter a saúde mental em dia é essencial. E é justamente a isto me me refiro nesta reflexão que marca o retorno do projeto “O Poder do Batom Vermelho”.

Beleza e autoestima andam juntas! E juntas vamos passar por essa fase tão difícil, apoiando umas às outras para que, quando isso tudo acabar, estejamos ainda mais fortalecidas e lindas! Por dentro e por fora.

Para assistir ao vídeo, é só dar o play:

Acompanhe “O Poder do Batom Vermelho” também nas redes sociais:
Facebook: fb.com/opoderdobatomvermelho
Instagram: @opoderdobatomvermelho
Youtube: youtube.com/opoderdobatomvermelho

Que alegria estar de volta! Conto com a participação de vocês! Juntas vamos construir um exército de mulheres superpoderosas!!! ❤

Ser mulher – uma transformação em andamento

Faz algum tempo que a mulher passou a ocupar apenas o papel secundário. Já temos excelentes protagonistas fazendo história nas mais diferentes áreas. Inclusive no futebol! Pensando a nível Brasil, um país extremamente machista, chega a ser irônico pensar que nosso maior nome no esporte seja o de uma mulher: Marta, eleita seis vezes a melhor jogadora do mundo. Até hoje, nenhum homem foi capaz de tal feito.

Marta recebendo o prêmio de melhor jogadora do mundo pela sexta vez.

Ironia maior, no entanto, é o que acontece no dia a dia. Não vou nem entrar na questão das disparidades absurdas em relação a salários e oportunidades profissionais no esporte para homens e mulheres porque só isso renderia um texto por si só. Vou focar na cultura (machista sim) enraizada que está por trás disso tudo e que começa cedo, desde a formação da criança.

Na escola, na hora da educação física, adivinha o que acontece? Para eles, futebol, lógico! Para elas, vôlei. Espero que isso já tenha mudado, mas quando eu estava no colégio era assim. Em casa? Ainda são poucos os pais (mães inclusas) que incentivam as filhas a jogarem futebol. Não estou dizendo aqui que todas as meninas devem ou deveriam jogar futebol, mas que ele deveria sim ser apresentado como opção de esporte/atividade física para as meninas da mesma forma que acontece com os meninos.

O futebol, no entanto, é apenas um exemplo bastante oportuno, já que nossas duas seleções estão em campo e permitem certas comparações. O Brasil – futebol masculino – disputa a Copa América. O Brasil – futebol feminino – compete na Copa do Mundo, que já é histórica diga-se de passagem! Pela primeira vez no país, a Copa do Mundo de futebol feminino tem transmissão televisiva e ampla cobertura da mídia. E não só isso: a seleção feminina ganhou uniforme exclusivo (aleluia!) e até álbum de figurinhas. Nada mais justo. Estamos, enfim, evoluindo… Antes tarde do que mais tarde.

Mulheres comentando futebol… Mulheres narrando futebol… Comerciais de camisinha com igual teor apelativo em relação ao prazer feminino e masculino (sim, acabou de passar na TV e resolvi aproveitar o gancho) comprovam que estamos num momento de transformação. E, como todo processo transitório, é doloroso… É difícil ir contra o status quo, nadar contra a corrente, propor uma nova visão… Mas extremamente necessário para que esta visão deixe de ser apenas uma visão e se torne realidade. Seguiremos firmes e fortes nessa luta dentro e fora de campo!

Evoluímos, mas ainda precisamos evoluir muito mais!

Nunca se falou tanto sobre violência contra a mulher. Assédio deixou de ser ‘engraçadinho’ e virou crime. Evoluímos. Mas ainda há um loooongo caminho pela frente… Por que estou escrevendo isso?

Acho que ainda está para nascer uma mulher que nunca tenha passado por algum tipo de violência física, sexual ou mesmo verbal, de caráter moral/psicológica. Eu mesma já passei por várias situações bastantes desagradáveis em diferentes níveis. E digo; não é legal!!!

Acredito que nem sempre as pessoas fazem esse tipo de coisa ‘por mal’ mas porque realmente não têm consciência do mal que estão fazendo de fato. Às vezes até chegam a pensar que estão agradando. Oi? Pois é…

Pois bem, enquanto houver qualquer tipo de ‘confusão’ nesse sentido, é sinal de que é preciso sim continuar falando sobre isso. Vale para meninos e para meninas também.

Foto em PB porque o assunto é sério. Crédito: Leandro Ramos.

Sobre o dia da mulher: e se fosse um homem?

Já ouvi mulheres sendo chamadas de vagabundas por fazerem sexo no primeiro encontro. Ou por terem múltiplos parceiros. Ou por fazerem sexo pelo simples ato. E se fosse um homem?

Já ouvi dizerem que é nojento uma mulher madura ter um relacionamento com uma pessoa (bem) mais jovem. E se fosse um homem?

Já ouvi mulheres em cargo de chefia serem chamadas de ‘mal comidas’ ao tomarem atitudes duras. E se fosse um homem?

Já vi mulheres que escolheram não ter filhos serem julgadas por sua decisão. E se fosse um homem?

Já ouvi dizerem que mulheres bem-sucedidas alcançaram o sucesso em troca de favores sexuais. E se fosse um homem?

O pior de tudo é que ouvi todas essas coisas de outras mulheres…

Nós, mulheres, devemos nos unir.

Neste dia oito de março, vamos lembrar que somos parte essencial desta luta.

Feliz dia internacional da mulher!

Neste texto eu vou te ensinar como conquistar o homem dos seus sonhos. Preparada?

Olá meninas! Você quer conquistar um relacionamento incrível com o homem dos seus sonhos? Se você é mulher, é bem provável que você já tenha se deparado com algum anúncio nesse estilo pela internet. A maioria deles vendendo cursos para você aprender a conquistar o homem que você quiser e o principal: não deixá-lo fugir! rs. Pois bem, você vai aprender tudo isso AGORA. E de graça! Tá preparada?

A primeira coisa que você precisa entender, para não frustrar suas expectativas, é que o homem dos seus sonhos não existe. Quer dizer, existe no sonho, se não fosse assim, seria real. Dãaaaa! Pois é, sempre vai ter uma ex louca, uma penca de filhos na bagagem, uma barriguinha a mais, um cabelinho a menos, enfim… Mas ainda assim você pode sim encontrar alguém bem próximo do seu ideal. Para isso, você precisa saber quais são as características que você busca num parceiro e o grau de importância de cada uma delas para saber priorizar de forma correta.

Vou dar um exemplo: quero um homem alto, loiro, olhos azuis, milionário, bom de cama e com um corpo malhado. Percebam que nesta descrição fiz um mix entre o dito ‘senso comum’ do que seria um homem ideal e Christian Grey, que personifica grande parte disso. Feito isso, é preciso saber o que é mais importante e menos importante pra mim dentre todas as características enumeradas. Pois bem, comece a focar sua energia nos homens que tenham a característica que é mais importante pra você. Parece lógico, né? Mas não é.

Jamie Dornan encarna Christian Grey em 50 Tons de Cinza

Agora que você já sabe em quem focar sua energia, vamos para a parte de aprender como fazer essa pessoa gostar de você. Antes de começar, vou propor um exercício: se olhe no espelho. Você gosta do que vê? Se a resposta for sim, você já está muito perto de alcançar seu objetivo. Caso contrário, o caminho será um pouquinho mais longo, mas tão compensador quanto ou até mais. Sim, o primeiro passo para fazer o outro gostar da gente é a gente se gostar. Afinal, se nem a gente gostar da gente, como pode outra pessoa gostar? No filme “A Verdade Nua e Crua”, o personagem do maravilhoso muso gostoso Gerard Butler diz assim para a personagem da também maravilhosa Katherine Heigl: ‘Se nem você quer fazer sexo com você, quem vai querer?’ Eles estavam falando sobre masturbação. A frase é sensacional e resume muito bem a ideia toda.

Gerard Butler e Katherine Heigl em A Verdade Nua e Crua. Adoro esse filme!!!

Para você atrair pessoas que estejam de acordo com o que você deseja, você, antes de tudo, precisa se tornar uma pessoa atraente para essas pessoas, até porque essas pessoas não vão ficar com você por obrigação, certo? E a grande sacada é: antes de focar no outro, foque em você! Procure se conhecer melhor, saber o que realmente te faz feliz, do que você gosta, o que te dá frio na barriga, o que te move e por aí vai… Procure identificar também tudo aquilo que você sempre achou que era importante pra você mas que na verdade não é e você achava que era. Doido né? Mas acontece muito! Principalmente por influência de família e amigos.

Depois de fazer essa faxina, encontre seus pontos fortes, tanto físicos quanto traços de personalidade. Aprenda a valorizar mais e mais essas características, invista pesado nisso! Identifique também aquelas caractrísticas que você não gosta muito e procure alternativas para melhorá-las ou mudá-las (quando você não gosta mesmo) e busque também formas de não chamar tanta atenção para elas, disfarçá-las e valorizar o que você tem de melhor, entende? É exatamente isso que os comerciais e aplicativos de foto fazem, já pensou sobre isso? Faça você também no dia a dia para ser uma pessoa mais linda e vibrante sempre. Vale lembrar que a beleza está muito ligada à autoestima, vem de dentro! Se você estiver se sentindo bem com você mesma, isso passa para os outros.

Finalmente, quando você estiver feliz com quem você é e segura de si, você estará apta a conquistar o homem dos seus sonhos! (Ou a versão real dele rs). Tá, mas como? Simplesmente sendo quem você é. É isso que torna a mulher realmente incrível e magnética. Uau! Simples assim? Não! Porque isso não é nada simples. É um caminho mais ou menos longo dependendo de cada uma, mas que vale muito a pena ser percorrido. Ah! É importante alertar que, durante o trajeto, é bem possível que a sua ideia de companheiro ideal mude, pois talvez você perceba que algumas características que você achava que eram importantes pra você não são. Sabe aquela coisa que tudo muda quando você muda? É isso. Até seus relacionamentos. O resto é receita de bolo.

Escolha a sua cor para o ano novo!

Ano novo, calcinha nova, vida nova! Nesta ordem. Segundo a tradição, devemos usar uma calcinha nova na noite de ano novo na cor daquilo que queremos atrair. Ano passado, rompi o ano usando calcinha branca e um vestido branco, mais pela tradição do que qualquer coisa. E, graças a Deus, posso dizer que 2018 foi um ano de paz e que eu me senti em paz, o que é mais importante.

Este ano, vou levar mais a sério esse lance das cores. O branco vai continuar no vestido, afinal, quero paz. Vou acrescentar um toque de dourado na maquiagem, pois dinheiro é bom e todo mundo gosta, né? E a lingerie será… Vermelha!!! Sim, quero muuuuuita paixão em 2019! Paixão pela vida acima de tudo! Paixão pela família, trabalho, amigos e quero romance também sim! rs.

Para quem, assim como eu, se liga nessa coisa de cor para o ano novo, eu separei uma lista (a mais completa que eu achei) preparada pela DeMillus com as cores e seus diferentes significados. Vale também pra quem não acredita ou acredita sem acreditar, vai que, né…

Branco – cor da paz, da calma, da pureza e da inocência.

Azul – Céu, alma, pensamento. Transmite otimismo. Associada ao verão e à prosperidade.

Azul-claro – tranquilidade, compreensão e frescor.

Azul-escuro – cor do romance e dos mistérios do mar.

Lilás – espiritualidade e intuição.

Roxos e violetas – prosperidade, nobreza e respeito.

Rosa – beleza, sensualidade, saúde e romantismo.

Rosa salmão – cor da harmonia e da felicidade.

Champanhe – calma e passividade. É associada ao clássico.

Verde – juventude, frescor, calma, esperança e proteção.

Amarelo – transmite calor, luz e descontração. Gera energia e otimismo.

Dourado – associa-se ao ouro, à riqueza e a tudo que é majestoso.

Vermelho – paixão e sentimento. Cor do amor, do desejo e também do poder.

Vermelho-escuro – cor da elegância, do requinte e da liderança.

Cinza – transmite sucesso, qualidade e estabilidade.

Prata – modernidade, futuro, novidade e inovação.

Preto – cor do mistério e da fantasia. Significa luxo e dignidade.

Tons terrosos – conforto, consciência, estabilidade, simplicidade e responsabilidade.

Enviado do meu iPhone

Para o amor entrar, você precisa abrir a porta

Dizem que não há receita para o amor, que, quando ele acontece, simplesmente acontece. Volta e meia me pego pensando sobre isso… Principalmente com tantos sites, matérias e artigos dizendo como agir na hora da conquista – que atire a primeira pedra quem nunca leu um texto assim.

Pois bem, se não há receita para o amor, por que existem tantas receitas por aí? E com tantos elementos em comum? Alguns deles: se quer ser levada a sério, não ‘dê’ no primeiro encontro… deixe ELE te procurar… Finja um certo desinteresse… E por aí vai… Sim, estou falando do ponto de vista feminino por questões óbvias. Pode funcionar? Pode, assim como o contrário também, afinal, quem nunca ouviu histórias de mulheres que tomaram a iniciativa na hora de chamar para sair? Ou que sim, rolou sexo na primeira vez e o casal continua junto até hoje? Se fosse cientificamente comprovado, essas situações não ocorreriam.

Acredito que todas essas ‘atitudes de receita’ despertam o ‘instinto caçador’ que existe dentro do ser humano. É normal querermos aquilo que não temos ou não podemos ter. Aquela história do proibido que é mais gostoso, sabe? Pensando dessa forma, existe sim uma receita, que consiste basicamente em despertar no outro instintos primitivos. Mas seria isso o amor?

Ah, se fosse tão simples… E talvez seja e nós que complicamos tudo. De uns tempos pra cá venho me convencendo disso cada vez mais. Todo ser humano é capaz de amar, está na nossa natureza. Queremos amar e ser amados. Mas, para isso, precisamos estar abertos para o amor e é geralmente aí que a gente começa a complicar tudo.

Que sorte que abriram a porta!!!

Todos temos particularidades, conceitos e (pré)conceitos também. Às vezes idealizamos tanto uma coisa que nos fechamos para novas possibilidades, que podem ser, inclusive, melhores que as inicialmente pensadas. “Ele é muito novo/velho pra mim”, mas você já pensou que essa troca de experiências pode ser benéfica numa relação? “Não estou num momento para começar um relacionamento”, desculpe, tem que agendar? Será que a pessoa não pode acabar contribuindo de forma positiva para o seu ‘momento’? “Ele mora numa outra cidade”, e…??? Hoje falta de comunicação não é desculpa pra nada e, a não ser que ele more num outro planeta, por mais longe que seja é possível se organizar para passar um tempo com a pessoa e nada garante que ele vai morar longe pra sempre né! Etc etc etc… Esses são apenas alguns exemplos das barreiras que colocamos para impedir que o tal do ‘amor’ chegue. E aí vamos em busca de ‘soluções mágicas’ e fórmulas prontas, quando somos nós mesmos que estamos sabotando nossa receita.

Mas e aí? Quer dizer então que devo ficar com qualquer pessoa a todo custo? Claro que não! Todos temos nossas particularidades e modo de ver a vida. E é isso que vai determinar que portas vamos abrir e fechar. O importante é perceber que o amor está aí volta e meia batendo à sua porta. E, para ele entrar, você precisa abrir a porta. 

Sobre os meus 35 anos

Postei esse texto no insta no dia do meu aniversário, 16 de outubro. É uma reflexão sobre a vida em geral, expectativas, sonhos e cobranças que muitas vezes nos fazemos e achei interessante resgatar, pois outras pessoas podem se identificar. Segue o texto:

Hoje completei 35 anos. Nunca fui muito ligada nisso de idade, não gosto de rótulos de nenhum tipo. Só que infelizmente vivemos numa sociedade que é cheio deles. De repente comecei a me fazer uma série de cobranças: sucesso profissional, estabilidade econômica, casamento, maternidade e por aí vai… Confesso que bateu um certo desespero.

De repente me senti perdida, com um checklist enorme de coisas a fazer e ainda tendo que lutar contra o relógio para conseguir realizar todas. Será que vou conseguir? Essa é a questão que fica martelando na minha cabeça… A resposta é: não sei e isso apavora. Comecei a me questionar também sobre o que de fato eu quero e o que acabo projetando com base nas expectativas e cobranças dos outros. E novamente me vi diante da dúvida. No meio de tantas dúvidas e questionamentos, ao invés de me cobrar definições, resolvi agradecer por tudo que já vivi e conquistei.

Cada pessoa é uma pessoa diferente, com histórias e batalhas individuais. Acredito que cada um de nós vem para evoluir e tem uma missão a cumprir na Terra. Cada um no seu tempo, do seu jeito. Neste novo ano pessoal, peço a Deus que guie meu caminho para que eu complete minha missão. E assim sei que, no momento certo, as respostas vão aparecer.

Pra Pensar: Beleza é futilidade? E as novidades do blog!

Beleza e futilidade estão relacionadas? Ou será preconceito da sua cabeça? Você já parou pra pensar sobre isso? Este é o tema do novo vídeo do canal, que marca também o novo momento do blog!

E que momento é esse?

Até agora, falamos muito aqui sobre comportamento, relacionamentos, reflexões sobre a vida que nos ajudam a pensar se estamos no caminho certo, de acordo com a nossa essência. Porque, no fundo, é isso que todo mundo espera, né, gente, se encontrar e viver a tal ‘vida em plenitude’. Pois bem, vamos continuar com nossas discussões e reflexões, elas estarão na categoria ‘Pra Pensar‘, como esta, do vídeo.

A novidade é que, além do conteúdo mais ‘papo cabeça’ vamos dizer assim, teremos duas novas categorias:

Novidades – como o nome já diz, vai trazer novidades do mundo da beleza e bem-estar para ficarmos cada vez mais lindas e poderosas! Aí, com o passar do tempo, teremos as subcategorias: cabelo, maquiagem, pele etc… 

Dicas da Tati – vou compartilhar sugestões de coisas bacanas que eu descubro por aí: pode ser um filme, um livro, uma loja ou até mesmo um chocolate, como já fiz anteriormente. Até porque todos gostamos de boas dicas e boas descobertas merecem ser compartilhadas, certo? Com o passar do tempo devem surgir subcategorias também.

Espero que vocês tenham gostado da novidade! E se por acaso você está pensando: ‘affff… Vai virar só mimimi e futilidade’, sugiro que você assista correndo o vídeo abaixo, talvez você mude de ideia. 

Aliás, convido todas a assistirem! Sim, o blog está cada vez mais voltado para o público feminino e essa é a ideia, mas os meninos também são bem-vindos e serão sempre bem-vindos aqui! 

Beijo poderoso!!!